Mercado de capitais: Plano estratégico da BVC prevê pelo menos 10 empresas cotadas na bolsa até 2025 (c/vídeo)
Negocia
Negocia
10 junho 2022

Cidade da Praia, 06 Jun (Inforpress) – O Plano estratégico da Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC), aprovado na semana passada em Assembleia Geral, prevê que até 2025 Cabo Verde tenha pelo menos 10 empresas cotadas na bolsa.

Desde a sua criação, em 1998, a BVC conta com quatro empresas cotadas, nomeadamente o Banco Comercial do Atlântico (BCA, detido pelo grupo Caixa Geral de Depósitos), a Caixa Económica, a Enacol e a Sociedade Cabo-verdiana de Tabacos.

O presidente do Conselho de Administração, Miguel Monteiro, adianta que o objectivo é ter pelo menos 10 empresas cotadas, pelo que a instituição está a trabalhar para atingir o mais rapidamente possível essa meta.

“Estamos neste momento com quatro empresas, isto desde o início da constituição da Bolsa. Este ano já temos a garantia de que em princípios vão haver novas empresas”, disse.

Miguel Monteiro explicou que essa meta tem a ver, sobretudo, com a classificação de Cabo Verde nos índices internacionais, nomeadamente o Doing Business, que exige que os países com bolsa de valores tenham pelo menos 10 empresas cotadas na bolsa.

“Qualquer país que tenha bolsa de valores e que não tem pelo menos 10 empresas cotadas fica prejudicado em termos dos critérios e naturalmente que a Bolsa deve fazer o seu papel para que Cabo Verde suba cada vez mais no índice do Doing Business para conseguirmos atrair mais investimentos para Cabo Verde”, sustentou.

“É neste sentido que estipulamos essa meta no nosso plano estratégico e na realidade consideramos que vai ser possível conseguir essa meta até 2025. Mas temos, claramente, desde já, trabalhar o mais rapidamente possível para atingir essa meta “, acrescentou em conversa com a Inforpress.

Para já Miguel Monteiro perspectiva que ainda este ano o processo de emissão das acções da Cabo Verde Telecom (CVTelecom) esteja concluído.

Trata-se de um processo que já vem de alguns anos. Miguel Monteiro adianta que a Bolsa está preparada, mas adiantou que a última palavra vem da empresa.

“Tínhamos referido que eventualmente seria no ano passado e não foi. Já em conversa com o senhor presidente da CVTelecom ele indicou em princípio que será este ano e então estamos a contar que a CVTelecom vai ser a nova estrela aqui no mercado de capitais com as acções a serem cotadas na bolsa e qualquer cabo-verdiano no país e no estrangeiro possa investir na empresa adquirindo as acções na Bolsa de Valores”, indicou.

O plano estratégico 2021-2025 da BVC foi aprovado em Assembleia-geral, na passada sexta-feira, 02 de Junho.

Segundo Miguel Monteiro com a aprovação deste “importante instrumento”, o actual conselho de administração estará em condições de colocar a BVC num novo patamar.

“No novo plano estratégico a BVC pretende servir a economia real e apoiar no desenvolvimento sustentável de Cabo Verde, oferecendo alternativas de financiamento e investimento, em condições favoráveis a emissores e investidores através da intermediação financeira”, referiu.

O documento, de acordo com presidente do BVC, está estruturado em 4 eixos estratégicos e um “enabler estratégico”, os quais se dividem em 17 iniciativas, sendo que dessas cinco são consideradas prioritárias.

Inforpress

Você precisa fazer login ou registar para responder

Você precisa fazer login ou registar para comentar

Noticias Similares

Porto Novo: Empresário inglês Mike James pretende investir no turismo e construção civil

Porto Novo: Empresário inglês Mike James pretende investir no turismo...

30 junho 2022
Cabo Verde Investment Forum:  Mais do que desafios Cabo Verde tem aspirações – Governo

Cabo Verde Investment Forum: Mais do que desafios Cabo Verde tem...

17 junho 2022
Olavo Correia: 4ª edição do Cabo Verde Investment Forum “será oportunidade para que os privados concretizem os seus projectos”

Olavo Correia: 4ª edição do Cabo Verde Investment Forum “será...

06 junho 2022